BESSA GRILL
Início » Cidades » Mordomo do papa Bento 16 é posto em prisão domiciliar no Vaticano

Mordomo do papa Bento 16 é posto em prisão domiciliar no Vaticano

21/07/2012 23:23

O Vaticano informou neste sábado que o mordomo do papa Bento 16, Paolo Gabriele, cumprirá prisão domiciliar após passar dois meses preso. Ele é acusado de vazar uma série de documentos confidenciais da Santa Sé e do pontífice.

De acordo com a cúpula da Igreja Católica, Gabriele morará com sua família no Vaticano e seus contatos com pessoas fora da cidade-estado serão regulados. O porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, disse que a detenção não é mais necessária.

Lombardi disse que o clero terá dois meses para decidir se deve ou não abrir um processo contra Gabriele por roubo. O mordomo é acusado de copiar documentos do escrivaninha de seu chefe, o monsenhor Georg Gänswein, secretário-particular do papa.

Entre os papeis extraviados, estão mensagens e e-mails confidenciais, alguns dirigidos a Bento 16, que foram enviados para fora do Vaticano. Desde a detenção de Gabriele, a comissão de cardeais estuda a abertura de um processo.

Caso aconteça, o mordomo pode ser condenado de um a seis anos de prisão, mas pode receber a absolvição do papa.

IMAGEM

A imagem do Vaticano foi fortemente afetada pelo vazamento de dezenas de documentos internos, entre eles diversas cartas particulares dirigidas ao papa e a seu secretário, o que provocou uma das maiores crises do papado de Bento 16, já que colocou em questão inclusive a sua liderança como guia da Igreja.

Segundo a imprensa italiana, Gabriele não agiu sozinho e a operação tem como objetivo desacreditar um setor do episcopado italiano com ambições de chegar ao trono de Pedro na próxima eleição de pontífice.

As informações foram incluídas em um livro, que foi publicado uma semana antes da prisão. A publicação contém um número sem precedentes de documentos confidenciais sobre numerosos debates internos do Vaticano, como a situação fiscal da Igreja ou os escândalos de pedofilia dentro do movimento dos Legionários de Cristo.

Estes documentos revelam as disputas e rancores que existem entre diversos cardeais e autoridades, que acusam uns aos outros e depois recorrem ao papa para dirimir os conflitos.

 

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS