BESSA GRILL
Início » Cidades » Inauguradas instalações do MPF em Monteiro: Levi Borges

Inauguradas instalações do MPF em Monteiro: Levi Borges

Solenidade contou com a presença de cidadãos, representantes de diversos órgãos e autoridades do município.

16/05/2014 21:45

 O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF/PB) inaugurou as instalações da Procuradoria da República no Município de Monteiro (PRM-MT), na região do cariri paraibano, a cerca de 300 quilômetros da capital. A inauguração ocorreu na quarta-feira, 14 de maio, e contou como a presença de cidadãos monteirenses, representantes de diversos órgãos e autoridades do município.

A cerimônia foi iniciada com a descrição das instalações do prédio, seguida da apresentação dos servidores que atuarão na PRM/MT, Matias Leal da Fonseca Neto, Danielle Carolina Florentino de Barros e Silva, Luciana Soares da Costa, Thalden Cesar Valadares Gabino e Rodrigo Nunes Maciel.

Em seu discurso, o procurador-chefe Rodolfo Alves Silva lembrou o objetivo estratégico do Ministério Público Federal de ser reconhecido, nacional e internacionalmente, até 2020, pela excelência na promoção da justiça, da cidadania e no combate ao crime e à corrupção. “Na perspectiva da sociedade, nosso principal patrimônio, o Ministério Público Federal estabeleceu dentro dos seus objetivos estratégicos a aproximação com o cidadão, sendo um dos aspectos a interiorização de sua atuação, com instalação de Procuradorias da República nas cidades onde estão instaladas varas da Justiça Federal, facilitando o acesso do cidadão a todos os serviços que são oferecidos no âmbito de atuação do órgão”, expôs.

“Nós sabemos que o Ministério Público é um órgão que foi talhado e criado na Constituição Federal de 1988 para ser o representante da população, da sociedade. E é quando está mais próximo da sociedade que esse órgão se fortalece e cresce”, afirmou o procurador da República José Godoy Bezerra de Souza, durante o seu discurso, e completou “esta casa estará de portas abertas ‘sem ferrolho e sem tramela’ – parafraseando um grande poeta da região – para ouvir os reclames da população”. José Godoy é o primeiro membro designado para a PRM/MT e comandará a unidade até meados de junho de 2014, quando os trabalhos em Monteiro serão conduzidos pelo procurador da República Renan Paes Félix.

Ao tomar a palavra, o vice-prefeito Ricardo Jorge de Almeida Menezes anunciou que a gestão municipal se coloca à disposição do MPF para trabalharem juntos, visando o bom controle dos gastos públicos. “O Ministério Público Federal será um órgão que nos auxiliará para garantir que a gestão esteja trabalhando dentro do que rege a lei”. Muitos gestores se assustam quando se fala em Ministério Público. Pelo contrário, quando procuramos fazer um trabalho bem feito, transparente, o melhor caminho é termos a parceria de todos os órgãos, pois assim podemos fazer muito mais pela nossa população”, reconheceu.

A cerimônia contou com a participação da Banda Filarmônica Maestro Sebastião de Oliveira Brito, que executou o Hino Nacional durante o hasteamento das bandeiras feito por três alunas da Escola Tiradentes da rede municipal. As estudantes Maria Mykaelle Alves da Silva, Karina Quaresma da Silva e Heloísa dos Santos Farias foram selecionadas pela Secretaria de Educação de Monteiro para hastear as bandeiras do Brasil, da Paraíba e do Ministério Público Brasileiro.

A solenidade de inauguração teve o apoio da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), que patrocinou o coquetel servido aos participantes, como também da Prefeitura de Monteiro, que através da mobilização de diversas Secretarias, disponibilizou toda a estrutura de tendas, cadeiras, palco e iluminação para o evento.

Expectativa da população

O MPF ouviu alguns cidadãos do município de Monteiro sobre a chegada do Ministério Público Federal na cidade. Para a professora Maria Vilani Ferreira Mayer, diretora da escola Monteiro Lobato, a chegada do MPF em Monteiro é importante. “Nós queremos conhecer o órgão para ver o que ele pode oferecer na área da educação”, afirmou. A diretora espera que o Ministério Público atue também nessa área “porque a educação hoje deixa muito a desejar e já que o Ministério Público está aqui, é bom dar uma olhada em tudo isso”, sugeriu. A escola Monteiro Lobato tem 360 alunos na educação infantil e fundamental e completa 23 anos de atuação em 2014.

A agricultora Maria Verônica de Oliveira, moradora do sítio Tingui, a quatro quilômetros da cidade, mostrou-se animada ao saber que o Ministério Público Federal defende o meio ambiente e contou que no sítio em que mora, antigamente havia mata nativa nas fontes dos rios. “A gente tinha essa bondade de receber as águas das nascentes que desciam para os riachos da nossa comunidade. Até o mês de setembro ainda corria água nesses riachos, mas depois que desmataram, queimaram tudo, acabaram com a natureza, as nascentes secaram. Hoje em dia não passam mais as águas e nós fomos os mais prejudicados”, contou com tristeza. ‘Verinha’, como é mais conhecida, faz parte da associação dos produtores de Monteiro e há oito anos vende seus produtos orgânicos, sempre às quartas-feiras, pela manhã, na feirinha agroecológica que fica na mesma rua da unidade do MPF em Monteiro, em frente à Procuradoria.

Já o senhor José Bonifácio Gomes, proprietário do restaurante Meia Pataca, também falou da sua expectativa com relação à chegada do Ministério Público Federal na região: “É ótimo esse lema ‘Seu direito nosso dever”. Eu não conheço a fundo o MPF, o que ele resolve, porque eu nunca precisei, mas agora eu vou estudar para aprender sobre ele porque agora tem em Monteiro, né? Então, quando chegar alguém pedindo informação, a gente tem que saber”, admitiu. “Seu Bony”, como é mais conhecido, destacou que o balcão é um grande professor. “Ele ensina a gente a tratar bem o cliente e o poder público deveria também tratar bem o contribuinte”, arrematou. O Meia Pataca existe há 29 anos na cidade e possui um espaço chamado “Mesa de Leitura”, uma mesinha a um canto com vários livros, principalmente de autores da região. “As pessoas vêm ao restaurante e se têm um tempo livre, demoram um pouco, pegam um livro e vão ler sobre a história de Monteiro”, revelou.

Da Redação (com Assessoria)