BESSA GRILL
Início » Cidades » Fantástico, no Show da Seca

Fantástico, no Show da Seca

22/01/2013 01:09

 

msmaiorNeste domingo passado, o programa global “Fantástico”, desceu do pedestal e veio até o nordeste onde encontrou uma miséria inacreditável, para um país rotulado de crescente economicamente, todavia, que ainda não levou a sério o prolongado flagelo da seca nordestina.

As imagens fortes já eram conhecidas dos flagelados e das autoridades públicas e políticos da nossa região. Contudo, a solução do projeto de transposição, de parte d’água abundante do rio São Francisco, é muito antiga, mostrando necessidade de uma batalha que vem desde D. Pedro II, Getúlio Vargas (1943), General Figueiredo (1979), Itamar Franco (1994) e Fernando Henrique Cardoso, com seu decreto de 5 de junho de 2001.

Depois de FHC, vieram oito anos do pernambucano Lula, mexendo nos projetos em julho de 2004, não dando a menor bola para um problema crônico e, conhecido profundamente, por ser pernambucano. Somente em 2007 o Exército Brasileiro iniciou a obra do Eixo Leste, nos lotes um e nove. Paralisações ocorreram em vários locais das obras, em completo desleixo governamental. E não venham os bajuladores de prontidão alegar normalidade na escavação dos canais que abençoariam doze estados, trezentos e noventa municípios e cerca de treze milhões de nordestinos, com custo atual de R$ 8,5 bilhões.

Paralelamente, alguns sulistas elitistas e desajeitados perderam o precioso tempo encenando uma ópera bufa, sobre um descabido e ridículo prejuízo com a solução para os sofridos irmãos dos sertões, aos demais projetos em torno do “velho Chico”.

O atual governo Dilma se deixou contaminar e continuar à marcha batida do seu amigo de nove dedos, já fazendo inúmeras viagens aéreas e, nem de cima, ambos se interessaram olhar parte do audacioso projeto do governo federal.

De quebra, ainda teve uma aloprada auxiliar da Presidenta, que atende pelo nome Aparecida Belchior, da área da área econômico-financeira, em postura gasguita se arvorou sabichona em entrevista: “nos parece que nós estamos oferecendo garantias mínimas, pois não estão ocorrendo saques, nem grandes migrações para as cidades”.

A resposta à Aparecida, que nunca apareceu no nordeste, foi curta e grossa, em tom de censura pública, pelos bravos representantes da Paraíba, o Senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o Deputado Federal Manuel Junior (PMDB), que cunharam o despreparo da bombástica entrevistada, por falar sem o mínimo conhecimento de causa.

O povo gostou demais do espaço generoso do “Fantástico” desnudando o âmago da inoperância, da mentira curta, da irresponsabilidade, do avanço na verba pública e, a falta de respeito aos afilhados de “Padim Ciço”.

A seca é sazonal, obrigando a cada ano, o dever inescusável de planejamento cuidadoso para evitar prejuízos irreparáveis à nossa agropecuária.

Carcaças de animais enfeiam o pátio cinzento esturricado, onde antes brotavam o capim, a palma e a água, que é elemento natural de sobrevivência de todos!

Lágrimas foram derramadas pela face dos que viram, ao vivo e a cores, a miséria do pobre nordestino, onde seria muito pouco para ressuscitar os que morreram de fome e sede, em pleno ano de 2.013.