BESSA GRILL
Início » Cidades » Escolas de João Pessoa terão reajuste de até 15% nas mensalidades

Escolas de João Pessoa terão reajuste de até 15% nas mensalidades

A alta está atribuída principalmente ao pagamento de salários. Mensalidades não seguem os índices de inflação.

7/12/2012 10:46

As escolas particulares já começaram a divulgar o reajuste das mensalidades previsto para 2013, que está oscilando entre 7% e 15% nas principais instituições de ensino de João Pessoa. A alta está atribuída principalmente ao pagamento de salários.

As correções das matrículas não seguem os índices da inflação, que reajustam normalmente os salários dos trabalhadores e servidores públicos, e sim os custos das planilhas de casa unidade educacional. Como as escolas tiveram um aumento acima dos índices de inflação, os pais que tiverem seus filhos em escolas privadas terão uma perda de poder aquisitivo.

No colégio Marista Pio XI, por exemplo, o índice ficou em 7%, o colégio QI divulgou que o reajuste será de 9%, enquanto nos colégios Geo, Motiva, Via Medicina e Risque e Rabisque a variação oscilou de 10% a 12%, mas em algumas escolas o índice chega a até 15%, como é o caso
do colégio Século.

Nos principais índices de inflação, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o reajuste foi de 5,99% em doze meses. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumula 5,45% e o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) vem oscilando de 6,96% nos doze meses.

Procon
Marcos André Araújo, coordenador do Procon-JP, isse que os reajustes nas mensalidades escolares é feito de acordo com a realidade de cada unidade, tirando a possibilidade de estipular apenas um reajuste em todas as instituições de ensino.

“É dever da escola fazer uma planilha elencando cada gasto, levando em consideração a última anuidade ou semestralidade. Essa relação deve ser divulgada em local visível e de fácil acesso 45 dias antes dos novos preços entrarem em vigor”, explicou.

Entre os itens a serem abordados na planilha elaborada pela escola devem estar todo e qualquer gasto da instituição, a exemplo das despesas com a folha de pessoal, compra de materiais de limpeza, aluguel do imóvel, investimentos em relações humanas, reformas e pagamento de contas de água, energia elétrica ou telefone.

“Pelo que acompanho, o que costuma pesar mais nos custos das escolas são os gastos com professores e funcionários, mas cada colégio tem uma realidade individual, não dá para afirmar se é sempre assim. De qualquer forma, qualquer pai que considerar o reajuste abusivo pode acionar o Procon para que verifiquemos se esse aumento é legítimo”, acrescentou Marcos.

Já o presidente do Sindicato das Escolas Particulares da Paraíba (Sinep-PB), Odésio Medeiros, esclarece que o reajuste das mensalidades se faz necessário antes de todo ano letivo em decorrência dos custos cada vez mais elevados de manutenção de um colégio. “Temos que considerar a inflação e os salários que sempre aumentam na data-base, além do aumento da água, da energia, do telefone e outros”, afirmou.

G1 Pb