BESSA GRILL
Início » Cidades » ENERGIA DEPOIS DA COPA; Francisco Nóbrega dos Santos

ENERGIA DEPOIS DA COPA; Francisco Nóbrega dos Santos

15/03/2014 03:20

 

nobrega-santos ENERGIA DEPOIS DA COPA-Escrito por Francisco Nóbrega dos Santos

O Ministério da Fazenda, após estudo dos tecnocratas, chegou à solene conclusão de que é necessário investir 12 bilhões de reais nas empresas que fornecem energia para abastecer o País, com a finalidade de cobrir um déficit de caixa, para o pagamento dos fornecedores das multinacionais das termelétricas, cujos valores estão defasados.

È natural que o consumo de energia elétrica no Brasil, vem aumentando progressivamente, a cada ano.  Pudera! A eleição dos nossos dignos representantes, surgem as urgentes necessidades de se ampliar os anexos que compõem as duas Câmaras ( dos Senadores e dos deputados), além de ampla reforma, com troca de móveis e ornamentos dos luxuosos gabinetes dos nossos dignos representantes, com imensurável número de aparelhos de refrigeração, cujo consumo de energia daria abastecer vários países vizinho, ainda sobraria energia para reduzir a escuridão de muitos povoados do Brasil, cuja população não conhece na prática, o significado da palavra iluminação (excetos a luz do sol e da lua).

Ninguém parou para avaliar a demanda de energia durante a realização das obras da copa do mundo, cujos desperdícios se arrastam, diuturnamente, para concluir as  obras do Mundial, por não ter havido tempo para realizar uma licitação, ou licitações, exigência essa que somente é vista, quando a obra é realizada por um governante de uma inexpressiva província, custando-lhe, muitas vezes, o mandato popular, outorgado pelo eleitor cego como os aplicadores da lei.

Dessa forma, o Ministério da Fazenda, com a visão protetora das instituições, encontrou a solução mais viável que será arregimentar recursos no montante de 12 bilhões. E como os cofres da Previdência Social não irão suportar o impacto do deslocamento dos recursos, a DRU, vai conceder um pouquinho de folga na Seguridade social, que (*segundo o Governo) é deficitária. Então a solução mais viável é aumentar os impostos (prá variar!).

Mas o povo não dever se preocupar. Continue marcando no calendário os dias que faltam para a Copa do Mundo, pois o todo poderoso Mantega (que deveria ser vaselina) já tranqüilizou que somente depois da eleição é que vai “reajustar” os impostos para fazer face às despesas com as verbas destinadas ao fornecimento de energia. E pelo princípio da anterioridade da lei que cria, aumenta, ou “reajusta” tributos, somente entra em vigor no ano seguinte. Portanto, podem votar tranqüilo  para manter os dignos representantes no poder.

            Para não dizer que não falei de flores, segue o aviso: inclua no seu orçamento doméstico para o ano de 2015, uma verba de reforço para pagar tributos mais caros. E como no Brasil prevalece o tributo indireto, isto é, tem como contribuinte de direito o fornecedor ou prestador de serviços, o valor será repassado a você que compõe essa massa iludida, na condição de eleitor fiel às oligarquias. Boa copa e feliz eleição!.