Começou o ano novo, com muita esperança e fé, paraos estudantes e concurseiros de plantão, fica uma pergunta no ar, e os concursos? Afinal, estudar para disputar cargos, trata de uma atividade emocionalmente e extenuante.Estamos falando de pais e mães de família que estão se dedicando ao objetivo delicado da vida: trabalhar para o Estado em troca de uma remuneração justa e sadia. E é normal ao concurseiro, querer um governo que seja simpático aos seus objetivos e, essas notícias são realmente, natendência a nos desestabilizar o valor dos estudantes.

Especula-se ainda que os governos em geral, não terão como autorizar novos concursos em 2017, mesmo com alguns órgãos com déficit muito grande de funcionários. O INSS por exemplo, tem uma grande expectativa de 7 mil novos postos de trabalho a serem abertos, em função do afastamento e aposentadoria de funcionários do órgão.

Nos anos 70, ainda jovem, me submeti ao concurso do Banco do Brasil, naquela época era o concurso mais concorrido entre os jovens, era recém formado e fui chamado para a cidade Itabaiana-PB, salário muito bom, mas estava no meu sangue a arte de advogar e me dediquei de corpo e alma, consagrando minha carreira como Desembargador oriundo do quinto constitucional no Tribunal de Justiça da Paraíba, lá me socorrendo com os ensinamentos do Des. Rivando Bezerra Cavalcanti.

Retornando aos dias atuais, vejo um ano meio tenebroso aos que esperam novos concursos, pois como já dito pelos governos municipais, estaduais e federais, não sinalizam para concursos, e sim grandes cortes de orçamento e de funções gratificadas.

Por sua vez, o Orçamento do governo federal não prevê a realização de novos concursos públicos em 2017, jogando um balde de agua fria nos jovens esperançosos e focados. Eu recomendo que aproveitem a crise para se reinventar, quero lembrar que em tempos difíceis na economia, inovação é a palavra fundamental para o fortalecimento. Seus estudos não serão jogados pelo ralo, pelo contrário, tanto os alunos públicos ou privados estão bem preparados para enfrentar e lutar pelo seu sonho!

Momentos de crise são feitos para avaliar o caminho já percorrido e buscar novas formas de fazer você mesmo crescer. Se hoje “crise” não é uma palavra agradável e representa dificuldade, o que a sua etimologia sabiamente nos ensina é que a crise é um momento de escolha e decisão.

Aos jovens deixo uma mensagem, não desistam, não parem, continuem a lutar, se reinventem, aprimorem-se, ainda mais, as vezes uma mudança de vida faz com que novos horizontes surjam, foi assim comigo, quando desistir de assumir o concorrido cargo de funcionário do Banco do Brasil na década de 70 do que nunca me arrependi.

É possível fazer da crise uma grande oportunidade para ter as melhores ideias, a fim de fazer seguras nas escolhas da nossa vida!

(*)Advogado e Desembargador aposentado do TJ-PB