BESSA GRILL
Início » Cidades » 7 dicas para você ser uma avó moderna

7 dicas para você ser uma avó moderna

27/07/2012 07:03

Os tempos mudaram. Os ‘novos avós’ têm 50 anos ou mais, são baby boomers, nascidos entre as décadas de 1950 e 1960, e chegam à maturidade com uma expectativa de envelhecer com mais saúde e qualidade de vida do que as gerações passadas.

Embora a grande maioria já esteja aposentada ou pensando nisso, esses novos ‘velhos’ não fazem o perfil dos avozinhos de bengala e já meio surdos, que passam o dia na frente da TV. E muitos não só ajudam a família financeiramente, como são parte integrante da criação das crianças.

Segundo Monica Dorin Schumer, psicóloga e terapeuta familiar que até 2010 ministrou cursos voltados para a modernização da terceira idade, com o pai e a mãe trabalhando, é às avós que, muitas vezes, cabe o papel de cuidar.

Além de abertura para experimentar coisas novas, como ser capaz de usar um computador ou, até, jogar videogame, as avós modernas precisam buscar conhecimento para entender como funcionam essas crianças nascidas no seculo 21.

A tecnologia e as opções que ela oferece fazem com que o choque de gerações pareça ainda mais intenso. Existem, no entanto, jeitos de diminuir as distâncias e aproximar-se dos netos. Só não vale devolvê-los mimados para os pais.

Confira sete dicas práticas para ser uma avó moderna:

1. Tente entender um pouco do universo da criança. “É importante saber do que ele está falando, não pode ignorar”, diz Monica. Se os netos já têm alguns gostos específicos, é essencial procurar saber quais são essas preferências, por mais que o que eles digam possa parecer grego. “Se você vai comprar um presente, por exemplo, tem que ter uma ideia mínima do videogame ou do DVD que ele vai gostar”, exemplifica Monica.

2. Compartilhe um pouco do seu mundo com o neto. Com certeza era tudo muito diferente na infância dos avós cujos netos nasceram há pouco. Os recursos disponíveis eram outros. Isso não significa, no entanto, que as crianças de hoje não podem desfrutar de brincadeiras e atividades populares em outros tempos. O contato com outras realidade pode, sim, ser bastante proveitoso, como explica Monica. “Isso estimula a criatividade e evita que a criança seja um ‘robozinho’, sempre atuando diante de uma tela”. – Confira 100 ideias de brincadeiras com crianças até 10 anos.

3. Deixe que o casal tenha seu espaço. Mostrar-se disponível é bem diferente de sufocar os pais da criança com exigências de atenção. Por mais que seja benéfico para a criança o envolvimento dos avós na criação, é preciso ter em mente que boa parte das decisões serão tomadas pelos pais. “Participar da chegada do neto é saber que junto com o bebê também está nascendo uma nova família, um pai e uma mãe”, explica Keila Cristiuma, diretora da Sempre Materna, empresa que ministra cursos voltados para mães e avós.

4. Informe-se sobre o assunto. Há uma série de livros que abordam o desenvolvimento infantil. Por mais que eles sejam normalmente voltados para as mães de primeira viagem, não há motivo algum para que as avós não desfrutem também de seus ensinamentos. “Como muitas avós passam bastante tempo cuidando das crianças, por conta dos trabalhos dos pais, esse tipo de informação é essencial”, explica Monica. – Veja sete livros recomendados sobre gravidez, maternidade e filhos.

5. Adapte-se às regras estabelecidas pelos pais. Opinar na criação das crianças é válido, mas é preciso respeitar sempre a autoridade dos pais. “É preciso que a avó tenha bem claro qual é o seu papel na educação da criança e que defina antes (e redefina sempre que for necessário) com os pais da criança o que eles esperam dela”, explica Keila.

6. Dê espaço para a criança crescer. Durante o desenvolvimento, a criança aprenderá novas habilidades e deixará de precisar da ajuda de adultos para algumas coisas. É importante que os avós aceitem isso e forneçam novos estímulos. “É difícil ver o neto crescer, mas tem que permitir que a criança seja cada vez mais independente”, afirma Monica. – Casa de avó também é lugar de educar.

7. Se o neto passará boa parte do tempo com você, acompanhe a mãe na visita ao pediatra.Se os pais trabalham e é você que passa o dia com as crianças, é possível que tenha informações importantes para ajudar o médico e a mãe ou o pai na hora da consulta. “Você pode ter visto coisas que a mãe não viu e que podem ser valiosas para a avaliação que o pediatra vai fazer”, diz Monica. Além disso, a visita é uma boa oportunidade para tirar as dúvidas que surgem no dia-a-dia. Ofereça-se para acompanhar os pais nessas visitas, sempre tentando valorizar também a presença deles. – Com quem o bebê vaificar?

 

Fonte ig