1

Pacheco e Lira discordam sobre Bolsonaro acatar reforma administrativa

Para Lira, o governo federal apoiará o avanço da proposta no Congresso; Pacheco teme que pré-campanha eleitoral atrapalhe o andamento

Reprodução

Os presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM – MG) e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP – AL)

O presidente do Senado , Rodrigo Pacheco (DEM-MG), lançou dúvidas nesta segunda-feira sobre o interesse do governo Bolsonaro na realização da reforma administrativa ainda neste ano. Já Arthur Lira (PP-AL), que comanda a Câmara dos Deputados , acredita que a proposta será abraçada pelo Executivo.

“Há o compromisso do Poder Executivo com a reforma administrativa? Esse é um questionamento que nós precisamos fazer e nós precisamos ter clareza nessa discussão junto à Casa Civil, a Secretaria de Governo e a própria Presidência da República, se há uma vontade por parte do governo de que façamos a reforma administrativa num ano pré-eleitoral ou não”, afirmou o senador em evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Lira diz que há interesse de modernização e “tendência reformadora no Congresso”:

www.reporteriedoferreira.com.br  / Por Agência O Globo




Randolfe pede que presidente da CBF seja convocado para depor na CPI da Covid

Vice-presidente da Comissão publicou em suas redes sociais que já protocolou requerimento pedindo a presença de Rogério Caboclo nas oitivas

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
Jefferson Rudy/Agência Senado

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Nesta segunda-feira (31), o vice-presidente da CPI da Covid no Senado, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), protocolou um requerimento para convocar o chefe da Confederação Brasileira de Futebol ( CBF ), Rogério Caboclo, para depor à Comissão sobre os protocolos sanitários que serão adotados para a realização da Copa América 2021 no Brasil .

Na manhã de hoje, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou que o evento será sediado no Brasil dos dias 13 de junho a 10 de julho. O comunicado tem gerado críticas da população e de alguns nomes políticos, que foram à internet manifestar o descontentamento com a realização do evento em meio à crise sanitária de Covid-19 no país .

“Estou protocolando requerimento convocando o presidente da CBF  na CPI da Pandemia. É necessário saber quais as medidas foram planejadas para garantir segurança sanitária aos brasileiros diante da realização da Copa América com tanta celeridade em nosso país”, escreveu Randolfe em seu perfil nas redes sociais.

www.reporteriedoferreira.com.br




Exclusivo: Desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti  declara que não tem intenção de entrar na política

A magistrada diz que mesma decisão foi tomada por filhos e netos

A desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti declarou, nesta segunda-feira (31), que não é candidata a cargo eletivo nas eleições de 2022. Mais do que isso, afirmou que não tem pretensões políticas, que “jamais entrará na política”, realidade que, segundo ela, é extensiva aos filhos e netos.

As declarações da magistradas foram feitas após ela ter sido indagada sobre o assunto, por este jornalista, em conversa na residência da mesma,  na Capital, momento em que era discutido a edição de um livro de crônicas de autoria   da mesma, acerca da vida do ex-senador José Maranhão. A obra será lançada em breve.

“Queremos tão somente homenagear sempre aquele que, no olhar de muitos, foi um dos maiores homens públicos que a Paraíba já teve”, afirmou.

Magistrada por vocação

Fátima Bezerra acrescentou que, no campo profissional, a sua escolha foi feita já há algum tempo. Lembrou que decidiu ser magistrada ainda jovem, o que o fez por pura vocação, realidade  que, segundo ela, “é motivo de orgulho e satisfação”.

www.reporteriedoferreira.com.br    Por Valter Nogueira




João Azevêdo entrega 21 veículos para fortalecer trabalhos de pesquisa e auxiliar agricultores atendidos pela Empaer

 

O governador João Azevêdo entregou, nesta segunda-feira (31), na sede administrativa da Empresa de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), na estrada de Cabedelo, 21 veículos destinados às 15 gerências regionais do órgão e que serão utilizados no assessoramento técnico de projetos e no reforço dos trabalhos de pesquisa e regularização fundiária. A aquisição da frota é resultado de uma parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual ressaltou que os veículos darão assistência às atividades desenvolvidas pela Empaer e irão fortalecer as economias locais. “A Empaer trabalha para fortalecer o desenvolvimento da nossa agricultura e tivemos a oportunidade de assinar um convênio que possibilitou a compra dos veículos que serão utilizados em projetos especiais para garantir a assistência técnica, o que é fundamental para os agricultores, e estamos atendendo esse pleito, dando respostas à sociedade e celebrando essa importante ação”, frisou o governador.

O secretário de estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Efraim Morais, afirmou que os novos veículos irão assegurar a melhoria dos trabalhos desenvolvidos pelos técnicos da Empaer. “Todos os municípios da Paraíba serão contemplados com essa ação do governo porque a orientação do governador é de que a assistência técnica chegue à ponta e aos que mais precisam e é isso que a Secretaria e a Empaer têm feito com competência”, falou.

O presidente da Empaer, Nivaldo Magalhães, evidenciou o esforço do órgão para a qualificação dos técnicos que irão atuar junto aos agricultores.  “Nós já qualificamos 45 técnicos da área econômica que estavam esperando esses veículos para iniciar os projetos, bem como cinco técnicos da área social, totalizando 50 extensionistas de campo preparados para dar assistência ao crédito rural e fundiário, e a Paraíba será referência para que o agricultor possa atender a sua terra ou comprar a sua terra para trabalhar”, disse.

O delegado do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Lúcio Matos, destacou que o convênio com o Governo da Paraíba irá refletir diretamente na melhoria do trabalho dos agricultores. “Essa parceria é muito importante para o estado porque esses veículos chegaram para dar assistência a todos os agricultores e temos vários convênios para auxiliar as atividades da agricultura e pecuária”, comentou.

O veículo destinado a Itatuba será utilizado para o acompanhamento do projeto piloto da Agrovila Águas de Acauã, em fase de implantação pelo Governo do Estado. O extensionista Geogles Dantas comemorou a chegada do primeiro carro que atenderá o município. “A gente vai poder realizar um trabalho melhor junto aos agricultores familiares, desenvolvendo políticas públicas voltadas para a melhoria da qualidade de vida dos agricultores, principalmente, no tocante ao crédito fundiário e ao projeto da Agrovila Águas de Acauã que irá beneficiar centenas de agricultores. Nós atendemos de forma direta e indireta na nossa região cerca de 1.000 agricultores quando envolvemos programas como o Garantia Safra, Pronaf, dentre outros programas”, falou.

www.reporteriedoferreira.com.br




Câmara de Pedras de Fogo aprova projeto que reduz para 30 horas semanais jornada de trabalho dos profissionais da enfermagem

A Câmara de Vereador de Pedras de Fogo aprovou, por unanimidade, na última sexta-feira (28), projeto Lei Complementar N.º 17/2021, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre a jornada de 30 horas semanais de trabalho para os profissionais da enfermagem. O projeto agora segue para sanção do prefeito Manoel Junior.

“A jornada de trabalho para os cargos de Enfermeiro, Técnico de Enfermagem e Auxiliar de Enfermagem, integrantes da Administração Pública Direta e Indireta Municipal, admitidos pelo regime jurídico único, ou contratados, não excederá seis horas diárias e 30 semanais”, diz trecho do projeto.

Manoel Junior afirma que os enfermeiros sofrem sobrecarga com a jornada atual. Para ele, a redução para 30 horas será melhor para pacientes, usuários e trabalhadores, sendo uma forma de garantir a qualidade dos serviços prestados por esses profissionais.

“Muitos profissionais da enfermagem se sentem esgotados após o fim do expediente, comprometidos física e emocionalmente, e não conseguem lidar com outras questões pessoais. Esse cenário pode desencadear queda da produtividade, dentre vários outros problemas. Por isso, a reivindicação da jornada de 30 horas semanais para a categoria é justa e agora chegou a hora de Pedras de Fogo reconhecer esse direito”, disse Dr Junior, como é conhecido o prefeito.

www.reporteriedoferreira.com.br




Ex-Presidente Luiz Inácio deve vir à Paraíba em junho e tenta reunir João, Ricardo e Aguinaldo

O ex-presidente Lula deve vir à Paraíba no final de junho, onde vai tentar reunir o governador João Azevêdo (Cidadania), o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) e o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB), vice-presidente do Senado Federal.

A informação foi dada pelo presidente do PT na Paraíba, Jackson Macêdo. Segundo Jackson, a visita de Lula à Paraíba faz parte do cronograma de viagens que o petista vai iniciar onde pretende visitar as 9 capitais nordestinas.

“Estivemos em reunião com a Direção Nacional do PT e o presidente Lula sinalizou que quer vir ao Nordeste no final de junho, início de julho. A ideia é que ele visite as 9 capitais da região do Nordeste”, disse Jackson.

Por conta dessa visita, já está agendada para esta semana uma reunião com os presidentes do Partido nos 9 estados do Nordeste com a Direção nacional para discutir a agenda da visita de Lula.

“Prioritariamente nós vamos dialogar essa agenda com lideranças políticas, com forças políticas locais, de cada estado. Na Paraíba eu tenho dito que o presidente tem que conversar com o ex-governador Ricardo Coutinho, com o governador João Azevêdo, com o senador Veneziano Vital do Rêgo, com o ex-prefeito Luciano Cartaxo, com o deputado Aguinaldo Ribeiro, enfim, com essas lideranças que têm sinalizado publicamente no sentido da gente debater um pouco sobre essa conjuntura que o Brasil vive”, declarou durante entrevista a BandNews.

Segundo Jackson, não se trata da construção de uma aliança eleitoral, mas de uma aliança política em defesa da democracia. “Porque o país corre permanentemente um risco com o governo que aí está”, frisou.

Sobre a conversa com Veneziano, o presidente do PT paraibano lembrou que o parlamentar tem feito enfrentamento nacional em relação ao governo Bolsonaro, que merece uma atenção especial de Lula, do PT, além de ser vice-presidente nacional do Senado.

“Todos os que eu falei precisam ter um momento com o presidente e acho que o presidente vai fazer isso. Até porque, vamos ter que tá dialogando com seguimentos da política que historicamente o PT nunca dialogou”, disse. Ele lembrou, inclusive, do encontro que o ex-presidente teve recentemente com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que é um adversário político do PT, para discutir a situação do país.

Ele destacou também que o ex-presidente Lula tem sinalizado que não conseguirá derrotar Bolsonaro se o PT sair sozinho nas eleições. “Temos que construir um grande movimento nacional contra o fascismo, contra a direita conservadora, que é liderada por Bolsonaro. Esse movimento passa também pela construção de alguns palanques estaduais. A gente sabe que é difícil construir isso, mas o presidente tem total capacidade política, até pela experiência que tem, de juntar grandes lideranças políticas em torno de um palanque único na Paraíba nas eleições do próximo ano”, afirmou.

Ainda sobre a visita aos estados, Jackson Macêdo disse que serão respeitadas as medidas sanitárias para evitar a contaminação da Covid-19. “A ideia é não construir nada que aglomere, que tenha muita gente. A gente sabe da nossa responsabilidade nesse momento de pandemia que o Brasil vive”, disse.

www.reporteriedoferreira.com.br




João Azevêdo anuncia primeiro voo comercial para o Sertão paraibano

João Azevêdo anuncia primeiro voo comercial para o Sertão paraibano

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), confirmou neste domingo (30), em postagem nas redes sociais, o lançamento do primeiro voo comercial com destino ao Sertão da Paraíba. A primeira cidade que receberá a aeronave e a companhia aérea responsável serão anunciadas durante uma live, no youtube, na próxima terça-feira.

“Um sonho da população sertaneja está prestes a se tornar realidade. Na próxima terça-feira lançaremos o primeiro voo comercial para o Sertão. Vamos contar os detalhes, como qual companhia e destino em uma live às 9h, no Youtube”, postou.

A publicação foi comemorada por centenas de internautas, que fizeram questão de curtir e comentar a boa nova.

www.repoteriedoferreira.com.br




“Está provado que o Brasil não quis comprar vacina”, afirma Omar Aziz

Presidente da CPI da Covid disse que a investigação do chamado ‘gabinete paralelo’ está entre os próximos passos da Comissão e deve ser resolvido nas oitivas da próxima semana

Senador Omar Aziz (PSD-AM)
Jefferson Rudy/Agência Senado

Senador Omar Aziz (PSD-AM)

O senador Omar Aziz (PSD-AM) , presidente da CPI da Covid no Senado, deu detalhes sobre os próximos passos da Comissão, falou sobre a falta de cilindros de oxigênio que gerou colapso na saúde de Manaus (AM) no início do ano e também clamou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que “pelo amor de Deus, compre vacinas”.

Aziz se emocionou ao falar sobre a morte do irmão , o empresário Walid Aziz, em janeiro deste ano devido à Covid-19 e reforçou a importância da vacinação contra a doença e do trabalho da Comissão em investigar as ações e omissões do governo federal no combate à pandemia. “Não é vingança, eu procuro justiça”, afirmou. “Àqueles que acharam que a CPI ia dar em pizza, se enganaram, porque nós já chegamos aos responsáveis pela não compra das vacinas”, afirmou.

Além disso, o senador também afirmou que as sessões da próxima semana devem provar a existência do chamado ‘gabinete paralelo’, que teria orientado o presidente Bolsonaro em relação ao uso de medicamentos sem comprovação científica no combate à Covid-19 .

Confira abaixo os melhores momentos da entrevista:

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello foi convocado a depor novamente à CPI sob muitas acusações de ter mentido e tentado, de certa forma, “blindar” o presidente Jair Bolsonaro. Como o senhor avalia os dois dias de depoimento do Pazuello à Comissão?

O Pazuello conseguiu, de cada fato que aconteceu, criar uma versão de um fato que ele mesmo disse: “Um manda e o outro obedece”. Simples assim, e rindo, de uma forma jocosa em relação às famílias que perderam pessoas pela Covid.

Todos nós, não ha exceção no Brasil, que não tenham perdido um familiar, um amigo, um vizinho ou alguém que conhecêssemos, todos nós tivemos esse tipo de perda. Infelizmente isso aconteceu. Então não foi uma mentira, foram várias mentiras ao longo do depoimento dos dois dias e, infelizmente, ele estava munido de um habeas corpus e nada podemos fazer.

Não adianta ali desrespeitar a pessoas, isso não vai resolver, não e uma forma que resolve, o que resolve é buscar a verdade, o que houve, o que está acontecendo, por que nós, um pais tão grande, não tivemos acesso às vacinas e hoje está comprovado que o governo nunca quis comprar vacina, ele apostou em imunidade de rebanho e em um tratamento precoce, pior, divulgando isso sem acompanhamento médico e isso comprometeu muitas vidas.

No depoimento à CPI, Pazuello chegou a pedir desculpas por não ter usado máscara de proteção contra a Covid-19 na ocasião em que foi visto em um shopping de Manaus, mas no final semana seguinte, o general participou de um ato no Rio de Janeiro ao lado de Bolsonaro e não usou máscara novamente. O senhor acredita que existam contradições entre as falas e as ações dele?

Várias, não só essa, por isso a gente afirma que não estamos dizendo algo sem o fato concreto, ele [Pazuello] mente. Aquilo lá é o verdadeiro “motoqueiros do apocalipse”, está morrendo um monte de gente e o cara diz que aquilo não era um ato político, era o que aquilo ali?

“Vamos passear de moto e fechar todas as ruas do Rio de Janeiro, porque eu sou o presidente eu mando e faço o que quiser?”, coloca mil policiais para dar segurança e fazer um passeio a troco de quê? Por que o presidente quer passear de moto? Fechar uma cidade para ele andar de moto enquanto morre gente.

Aí vem um general de três estrelas e dá essa desculpa esfarrapada para o comando do exército. Ou ele está muito confiante que o Bolsonaro  irá protegê-lo, ou ele menospreza a inteligência de generais acima dele no exército brasileiro.

Se você disser para mim que esse passeio foi para arrecadar alimento para o povo que está passando fome, vacina para quem não teve acesso, para conscientizar o povo brasileiro que vivemos um momento difícil é uma coisa, mas não, foi a troco de quê? Festejar o quê?

Aquilo lá não era um cortejo fúnebre de apoio a alguma coisa, aquilo era um cortejo para o ego do presidente, e ali se dispõe um palanque sem máscara com o ex-ministro, que é tratado como herói porque mentiu. Em vez de nos proteger, que é o papel das Forças Armadas, de proteger o povo brasileiro, ele protegeu o Bolsonaro.

O vice-presidente da Comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que Pazuello já é um “candidato a ser indiciado” pela CPI. O senhor concorda com essa afirmação?

Olha, com o depoimento da Pfizer e do Butantan, não tem mais o que falar sobre o descompromisso em comprar vacinas, que levou ao óbito de milhares de pessoas.

No depoimento do Dimas Covas, ele afirmou que se o governo brasileiro tivesse feito um contrato, ele disse o seguinte: “Nós estivemos em uma reunião e oferecemos 60 milhões de vacinas e eles não deram atenção. Depois, em uma reunião entre o Ministério da Saúde e o Butantan, ficou acertada a compra de 48 milhões de vacinas. No dia seguinte, o presidente, pelas redes sociais, disse, atacando, que quem mandava era ele e que não ia comprar a ‘vachina’ chinesa , e esculhambou a China”.

(Depois dissso) pararam as negociações, após anunciá-las. O próprio ministro (Pazuello) disse que essas eram as “vacinas brasileiras”, e depois ele vai à CPI e diz que o presidente nunca o atrapalhou.

A gente em uma guerra, morrendo gente, e o ministro da saúde dizendo que não falava com o presidente. Eu fui governador, se tinha uma rebelião no presídio eu ligava 50 vezes para o secretário de segurança, eu ficava o tempo todo acompanhando. Se eu fosse o presidente, tinha me mudado para o Ministério da Saúde, ligado para as principais lideranças do mundo e dito que queremos vacinas, mas o Bolsonaro  não fez isso em momento algum.

E não adianta nós imunizarmos as pessoas de outra forma que não seja com as duas doses de vacina. Àqueles que acharam que a CPI ia “dar em pizza”, se enganaram, porque nós já chegamos aos responsáveis pela não compra das vacinas.

Em uma live na última quinta-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro pediu ao senhor “pelo amor de Deus, encerra logo essa CPI”. Você acredita que ele tenta descredibilizar os trabalhos feitos na Comissão? Por qual motivo? 

Naquela conversa que ele teve com o senador Kajuru , ele disse “vamos transformar esse limão em uma limonada”, tanto é que, no outro dia, o senador Eduardo Girão entra com uma nova CPI pedindo para investigar governadores e prefeitos, para tentar conturbar.

Então, o presidente do Senado (Rodrigo Pacheco) apensou, e ficou uma CPI que tem que investigar a omissão do governo federal, falta de oxigênio no estado do Amazonas e a investigação dos governadores e prefeitos. Por isso, a gente teve que adotar o critério de convocar os que tivessem sido denunciados pela Polícia Federal.

Agora, ele pedir para acabar a CPI, lógico que vai acabar um dia, mas ela só tem um mês, ainda faltam dois, e após isso eu atenderei ao pedido do presidente. Isso se tivermos investigado tudo e ela não for prorrogada. Agora eu quero fazer um apelo ao presidente: Pelo amor de Deus, compre vacina. Se o presidente colocar 500 milhões de doses para vacinar com duas doses cada brasileiro, acaba a CPI. Mas, enquanto isso, não irá acabar.

Como o senhor avalia os ataques do presidente Bolsonaro  contra o senhor, até mesmo em relação à sua atuação na saúde do estado do Amazonas quando ainda era governador?

O presidente veio inaugurar uma ponte de 18 metros, conhecida no estado do Amazonas como ‘pinguela’. Eu inaugurei uma ponte de 3 km, olha a diferença, é a ponte que cruza o Rio Negro.

Eu não vi ele construir um hospital de campanha descente neste pais, eu construí o hospital Delphina Aziz, que me honra muito ter colocado o nome da minha mãe, que é hospital referência no Brasil no tratamento da Covid. Eu criei o melhor programa social da história do Amazonas para deficientes físicos. Eu tive uma filha deficiente que faleceu aos 17 anos e eu sei o sofrimento que foi para cuidar dela, e eu tinha condições.

Eu propus que, se um dia eu chegasse ao governo, ia fazer isso ao povo que não tinhas as mesmas condições que eu. Além disso, fui o governador mais bem avaliado e votado da história do Amazonas, então eu tenho um legado.

Eu fiz o meu papel na saúde, e quando aconteceu esse fato, eu não era mais governador, eu já era senador da república, mas as questões politicas levaram a isso. Então, presidente, eu não contribuí com o assassinato e morte de ninguém, eu fiz aquilo que era possível para salvar vidas.

Em 4 anos [como governador] eu entreguei 30 mil casas, ele (Bolsonaro) não consegue entregar isso. Agora, em vez de me esculhambar, porque não vai e compra vacina? É o que nós queremos, mas é o papel dele, do “robô” dele me esculhambar.

Eu estou com a consciência tranquila, tentando fazer o meu melhor pelo Brasil e pelo meu estado que sofreu muito com a pandemia, porque só eu sei, e eu estava aqui e sou um político há muitos anos.

Minha primeira eleição foi em 1988, e antes eu já fazia politica estudantil, lutei contra a ditadura, fiz aquilo que qualquer jovem tinha que fazer na vida, e eu sei quantas pessoas me mandaram mensagem pedindo “pelo amor de deus, salve meu pai e minha mãe que não tem oxigênio” e você não poder fazer nada, porque não tinha oxigênio para salvar as pessoas.

Cerca de duas semanas atrás, senadores membros da CPI encaminharam à Polícia Federal ameaças que receberam por mensagens nas redes sociais e pelo WhatsApp. O senhor também foi vítima disso? Como enxerga essas ameaças aos parlamentares?

Toda hora, mas fazer o quê? Eu ando na rua sem segurança, vou para o aeroporto, pego o avião e vou para Brasília, de lá volto para Manaus. Eu coloco na mão de Deus, Ele que sabe, ninguém é dono do seu destino, a gente tenta construí-lo.

Todos nos queremos ser felizes, casar, viver a vida toda com aquele parceiro, quer ter filhos, educá-los… Todos queremos o mesmo, mas os percalços da vida atrapalham  os nossos projetos. Todos nós temos problemas, a gente olha para a pessoa do lado e pensa “queria ser como ela”, mas aquela pessoa tem problemas, e a gente não sabe quais são, é dela, cada um sabe onde o sapato  aperta, não tem classe social para isso, pode ser rico, pode ser pobre, o barraco é o mesmo.

Durante as sessões da Comissão, e possível notar que a crise da falta de oxigênio em Manaus é um tema “espinhoso” para o senhor quando ele vem à tona. Como foram os dias em Manaus e no estado do Amazonas quando faltou oxigênio? E, na sua opinião, o que deixou de ser feito pelo Ministério da Saúde para tentar evitar esse colapso? 

Eu evito a gente responsabilizar, porque foi um fato, uma coisa que aconteceu, que eu não desejo para ninguém. Meu irmão estava internado, ele faleceu. Aconteceram muitas coisas. Não é vingança, eu procuro justiça, que é vacinar as pessoas, não tem outro jeito.




Bolsonaro pede para Exército não punir Pazuello e agrava crise

Generais veem “desfaçatez” em ida do ex-ministro da Saúde a evento sem máscara após participação na CPI, enquanto o presidente busca livrá-lo de qualquer punição, piorando a já conturbada relação com o Exército

Bolsonaro pede para Exército não punir Pazuello e agrava crise
Reprodução

Bolsonaro pede para Exército não punir Pazuello e agrava crise

O presidente Jair Bolsonaro disse ao comandante do Exército , general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, que não quer que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello , seja punido por participar, sem máscara, de um ato em favor do presidente no Rio de Janeiro no domingo passado (23) , poucos dias após defender o uso de máscara contra a Covid-19 na CPI .

Segundo o jornal Folha de S.Paulo , Bolsonaro deu sinal de que busca livrar Pazuello de qualquer punição durante viagem que fez a São Gabriel da Cachoeira (AM) com Paulo Sérgio, comandante do Exército, onde o presidente foi inaugurar uma ponte de menos de 20 metros em visita de dois dias a partir de quinta (27).

General da ativa , Pazuello está no topo da carreira de intendente, responsável pela logística militar, com três estrelas. O comandante do Exército é, portanto, seu superior, e o pedido de proteção ao ex-ministro da Saúde feito por Bolsonaro acirra a já grave crise entre o Planalto e o Exército , de onde o hoje presidente saiu quase expulso como capitão em 1988.

Na viagem ao Amazonas em que Bolsonaro defendeu que Pazuello não seja punido estavam presentes, além do comandante do Exército, o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e o chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos. Os dois são generais de quatro estrelas, também superiores a Pazuello na hierarquia militar , e não teriam gostado do pedido feito pelo presidente para livrar seu ex-ministro.

Entre os generais, a “desfaçatez” de Pazuello em ser  flagrado sem máscara em diversas oportunidades, mas defender “medidas preventivas” na CPI da Covid no Senado e depois ir ao ato bolsonarista sem máscara não foi bem vista. O ex-ministro da Saúde deve, inclusive, ter de voltar à CPI em breve para dar explicações. Em seu último depoimento, Pazuello foi acusado de mentir dezenas de vezes, o que configura crime .

Não contente em contradizer seu discurso na CPI após poucos dias, Pazuello subiu ao palanque para dar apoio ao presidente em um evento de motociclistas no Rio. O ex-chefe da Saúde foi demitido em março após gestão considerada desastrosa e então foi incorporado a um cargo burocrático na Secretaria-Geral do Exército.

O Alto-Comando do Exército, colegiado de 15 generais de quatro estrelas – todos superiores a Pazuello – encabeçado por Paulo Sérgio defendeu punir Pazuello, já que o regimento militar  veta manifestações políticas de quem está fardado (na ativa). O ex-ministro poderia, sem a proteção de Bolsonaro – ou com a opinião de Bolsonaro não sendo levada em conta – ser advertido verbalmente, receber uma repreensão por escrito ou até mesmo pegar 30 dias de cadeia em um quartel. A ideia de Pazuello ir para a reserva para minimizar a crise já é vista como insuficiente no Exército.

www.reporteriedoferreira.com.br  / Ig




Chelsea bate Manchester City de Guardiola e é bi-campeão da Liga dos Campeões

Chelsea é campeão da Champions League – (Foto: Twitter UEFA)

Pela segunda vez, a Europa é do Chelsea. O time londrino venceu o Manchester City por 1 a 0 na tarde deste sábado (29), no estádio do Dragão, na cidade de Porto (POR), e conquistou a Liga dos Campeões após nove anos. Kai Havertz anotou o gol da vitória.

Diante de 14.110 torcedores, a expectativa era pela volta de Pep Guardiola à final da Champions após dez anos. Mas brilhou a estrela do técnico Thomas Tuchel, que levou o Chelsea ao título quase um ano após o vice com o PSG.

Em sua terceira final, o Chelsea leva a sua segunda taça da Liga dos Campeões. O Manchester City estava em sua primeira decisão e ficou com o vice.

O time londrino agora empata com o Nottingham Forest, na terceira posição entre os ingleses mais vencedores. Liverpool (6) e Manchester United (3) estão na frente. O maior vencedor você sabe quem é: o Real Madrid, com 13 taças.

www.reporteriedoferreira.com.br